Sem categoria

Século XIII


Enfim consegui fazer o rascunho dos dois primeiros “artigos” da série que estou planejando há um bom tempo. Porém, agora me deparo com mais um problema: não ter computador. Então dependo de alguma boa alma que ceda o computador para a pesquisa, escrita e horas de revisão de cada texto. Por mais absurdo que pareça esses textos levam geralmente 6 horas para ficar pronto, porque além de todo um pensamento linear eu sempre pesquiso muito e me perco, volto, me perco, faço. Então já vou adiantar que estes vão ser mais complicados e demorados de aparecerem no blog, não pela má vontade, mas pela disponibilidade de tempo e meios para tal.

Os textos são resumidos, bem magros, mas completos para leigos que querem ter uma noção de História da Arte, e como a palavra diz, tem muito mais a ver com história do que apenas com quadros e pintores. Alguns períodos são maiores e mais complexos, outros tentarei ser bem resumida.

Contexto histórico

Em seguida ao período românico, surgiu no Norte da França o período gótico. O centros de autoridade religiosa e intelectual transferiram-se de um ambiente monástico-rural para os centros urbanos.

Por ser leve e delgada, a abóbada sobre arestas possibilitou o desenvolvimento de uma estética em que uma lux nova definia a nova arquitetura. A “nova luz” foi comunicada por meio da maior altura das abóbodas e dos vitrais que iluminavam os novos e grandiosos espaços tornados tecnologicamente possíveis por arcobotantes nas paredes externas das edificações , os quais davam apoio as paredes finas. Felipe II ( que reinou de 1180 a 1223 ) transformou Paris na capital da Europa gótica. Pavimentou as ruas, cercou a cidade com as muralhas e construiu o Louvre para abrigar a família real.

Santo Tomás de Aquino, um monge italiano, foi para a França em 1244, para estudar na renomada universidade de Paris. Começou a escrever a Suma Teológica segundo o modelo escolástico ensinado em Paris, mas nunca a concluiu. Com base no sistema aristotélico da indagação racional , Santo Tomás usou em seu tratado um modelo que organizava a obra em dez livros, depois em questões no corpo do livro e artigos no interior das questões. Cada artigo então incluía objeções com contradições e respostas, e as respostas às objeções configuravam o elemento final do modelo. A obra de Santo Tomás é um dos alicerces dos ensinamentos católicos.

Quando o Rei Luís IX ( 1215-70 ) assumiu o trono, o estilo “gótico-cortesão” parisiense estava em seu apogeu. Paris não era reverenciada apenas pelos professores e arquitetos de sua universidade, mas também por seus criadores de iluminuras. Na Divina Comédia, Dante Alighieri ( 1265-1321 ) se refere a Paris como a capital dos manuscritos com iluminuras. O resto da Europa tentava imitar o estilo gótico da Île-de-France, mas as tradições germânicas e inglesa não enfatizavam a elevação e a transcendência do modo como o fizeram as catedrais de Reims ou de Amiens. As grandes realizações da Inglaterra no século XIII foram de natureza política, aí incluída a Magna Carta ( 1215 ), geralmente considerada pelas gerações posteriores como o texto fiador dos direitos humanos para todos, e a criação do Parlamento durante o reinado de Eduardo I (1271-1307 ).

As Cruzadas estavam em pleno andamento por volta do século XIII, mas as batalhas eram em grande parte definidas pelos contra-ataques dos muçulmanos. A Quarta cruzada ( 1202-04 ) teve Constantinopla como seu principal cenário de atuação e serviu para desacreditar a tendência dessas expedições militares e religiosas, porque cristãos atacaram cristãos, e o cisma entre os cristãos ortodoxos do Oriente e os católicos romanos tornou-se maior.

Contudo, essas aventuras militares criaram intercâmbios culturais duradouros. Novos alimentos e artigos de luxo, como sedas e brocados, entraram em circulação. Os comerciantes italianos foram os principais beneficiários desse intercâmbio mercantil como o Oriente, que passou por uma expansão de suas áreas de atuação.

Marco Polo ( 1254-1324 ), o famoso explorador veneziano viajou da Europa para a Ásia e ficou sete anos na China fazendo contatos comerciais. Embora os italianos usassem vigas de madeira em vez de altas abóbadas de pedra de cantaria para cobrir suas edificações, limitando, desse modo, a altura de suas igrejas, eles alçaram altos vôos na area do comércio internacional, preparando o cenário para a “idade de ouro” da Renascença.

Cimabue ( Cenni di Pepo ) , 1240-1302, Madona e Menino entronizados com dois anjos e São Francisco e São Domingos, Galleria de Uffizi, Florença.

Depois de aprender a arte da criação de mosaicos em Florença, Cimabue desenvolveu o estilo bizantino medieval, buscando um maior realismo. Tornou-se o primeiro mestre florentino. Algumas de suas obras eram monumentais. Seu discípulo mais famoso foi Giotto. Cimabue pintou várias versões da Maestà, “Majestade entronizada em glória”, remetendo a uma representação de Nossa Senhora com o Menino Jesus na qual se entreveem algumas emoções humanas.

Duccio di Buoninsegna,1285,  Madonna e Cristo entronizado com santos e anjos, Museu dell’Opera del Duomo, Siena.

Originalmente carpinteiro e iluminador, foi influenciado por Cimabue e pela escola de pintura sienense. Ao lado de Giotto, foi um dos artistas responsáveis pela transição do período gótico para o renascentista, apresentando elementos bizantinos em todas as suas obras. Também um profundo inovador, ele pintou suas figuras com mais densidade e solidez, e com mais profundidade de caracterização do que até então se havia visto em Siena. Sua importância é considerada fundamental para o desenvolvimento da escola sienense.

Giotto di Bondone, 1267-1337, Demônios expulsos de Arezzo, Igreja Superior de São Francisco, Assis.

Seu nome completo era Ambrogiotto di Bondone, mas ele é atualmente conhecido, como já era em seu tempo, pela contração Giotto, palavra que passou a representar quase todas as coisas grandiosas que a arte é capaz de realizar. Em sua época, a fama de Giotto como pintor era imensa; tinha numerosos seguidores, e esses Giotteschi ( giotescos ), como eram chamados, perpetuaram seus métodos por quase um século. Em 1334, projetou o belo Campanile ( campanário ) que fica ao lado da catedral de Florença e representa uma síntese    perfeita de força e elegância, e que foi parcialmente seguido quando ele ainda vivia. Além disso, os relevos esculpidos que decoraram a parte inferior foram todos projetados por Giotto, que só executou dois deles enquanto viveu. Inspirado pela escultura gótica francesa, abandonou a rígida representação dos temas, uma das características dos estilos bizantinos, e adotou a representação mais realista de personagens e cenas contemporâneos, dotando-os de uma qualidade mais narrativa. Suas inovações influenciaram o desenvolvimentos subsequente da arte italiana. Seu rompimento com as antigas representações da Maestà, iniciada por volta de 1308, trouxe para o tema o conhecimento da arquitetura e de suas perspectivas. Todavia, a desproporção das figuras representadas é um artifício que tinha por objetivo a disposição delas na obra por ordem de importância, como se fazia nos ícones bizantinos.

Desse modo, arquiteto, escultor, pintor, amigo de Dante e de outras grandes personalidades da época, Giotto foi o brilhante percursor de uma plêiade de homens brilhantes que povoaram a fase final da Renascença italiana.

Fontes: 1000 Obras-Primas da Pintura.

http://www.christusrex.org/www2/art/gallery.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s